Notícias

184 visitas
04/09/2023 23:53:36

Primeiro dia de 15º CONOJAF reafirma atuação das entidades na luta pela valorização e segurança dos Oficiais de Justiça
Delegação da Aojustra acompanha os debates sobre o futuro da função em Belém (PA).

O primeiro dia de 15º CONOJAF e 5º ENOJAP, em Belém (PA), nesta segunda-feira (04), apresentou painéis que reafirmaram a necessidade da atuação conjunta das entidades representativas na luta pela valorização e segurança dos Oficiais de Justiça.

Na cerimônia de abertura, os presentes destacaram, ainda, o déficit do quadro existente nos tribunais de todo o país, bem como a mobilização por mais Oficiais de Justiça.

O presidente da Fenassojaf João Paulo Zambom enfatizou a necessidade de a categoria entender os desafios de passar pela tecnologia e atuar pela valorização e essencialidade da função. “Às vezes, o cidadão tem apenas o contato com o Oficial de Justiça durante todo o seu processo judicial e nós precisamos entender a importância que temos”.

A delegação da Aojustra está em Belém e acompanha os debates sobre os temas que dizem respeito à atuação dos Oficiais de Justiça que acontecem até esta terça-feira (05), no Teatro Maria Sylvia Nunes, na Estação das Docas.

Os desafios e as perspectivas para a função dos Oficiais de Justiça, bem como o uso de drones nas diligências foram os temas abordados neste primeiro dia de Congresso. Na oportunidade, o juiz do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), Marcelo Honorato, deu detalhes sobre a aplicabilidade dos drones em diligências, além dos requisitos como habilitação e autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC).

O magistrado deu exemplo da utilização de micro drones usados para a inspeção de máquinas. De acordo com ele, no Poder Judiciário, os drones podem ser usados pelos Oficiais de Justiça em buscas e apreensões, penhoras, reintegração de posse e avaliações, que facilitam e preservam a segurança do servidor no cumprimento dos mandados.

Segundo Dr. Marcelo, em uma busca e apreensão, é possível averiguar a comprovação da existência ou da ocultação do bem. Em avaliações, obtém-se dados concretos, com menores incidentes processuais ante a certeza do bem e maior celeridade na diligência.

Na reintegração de posse, além da maior segurança para os Oficiais de Justiça, também existe maior controle dos ocupantes da área invadida, com melhor análise do risco e comprovação concreta de eventuais descumprimentos.

Perspectivas – As perspectivas para a função foi o último painel do dia, moderado pelo diretor João Paulo Zambom. Ao lado da coordenadora da Fenajufe, Paula Meniconi, do presidente da Afojebra, Mário Medeiros Neto, foi realizada uma análise sobre as alterações ocorridas nos últimos anos na atuação do segmento e o trabalho das associações nacionais contra as ameaças ao esvaziamento da função.

Por fim, as assessorias parlamentar e jurídica da Fenassojaf fizeram uma análise sobre a PEC 23, que institui o Oficial de Justiça como carreira típica de Estado. Na visão dos assessores, são necessárias alterações de redação para que a proposta possa beneficiar o segmento.

“A Fenassojaf nunca será contra nenhuma proposta que seja benéfica para os Oficiais de Justiça”, chamando a Afojebra e Fesojus a atuarem conjuntamente pela melhoria da redação da matéria, finalizou João Paulo Zambom.

Para a diretora da Aojustra Bruna Vivian, participar do 15º CONOJAF está sendo uma excelente oportunidade de atualização sobre diferentes realidades dos Oficiais de Justiça que atuam nas mais diversas regiões do país, sobre os projetos de lei que estão em andamento e as novidades tecnológicas que podem ser usadas a favor do segmento. “Além de estarmos em um agradável ambiente de colaboração e interação entre os colegas de profissão, tudo isso com um cenário maravilhoso de Belém do Pará”, completa.

“Nosso 25° Conojaf em Belém está muito interessante, desde a apresentação inicial, passando pelos depoimentos e palestras. Vamos seguir aprendendo e nos atualizando sempre! Parabéns e obrigada aos organizadores e todos os envolvidos no fortalecimento da nossa categoria!”, finaliza a delegada a Associação, Dilza Ferreira Wedderhoff.

Da assessoria de imprensa, Caroline P. Colombo